sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Nós dois

Enquanto não encontro a palavra certa
Digo outras, em frases desconexas
E cuido pra não me perder
E então quando o dia nos desperta
Esqueço das verdades descobertas
E cuido pra não te perder
Eu em ti, tu em mim
Sem pensar no fim

terça-feira, 22 de agosto de 2017

Um grande amor

Já entrei no jogo
E ignorei a dor
Botei a mão no fogo
Por um grande amor


Sorria sozinho pelas ruas
Vivia intensas emoções
Sofria em verdades cruas
Chorava ao ouvir certas canções


Em tudo via poesia
Em tudo havia encanto
Do nada, a nostalgia
Às vezes, novo pranto


Não é de admirar-se
Assim mesmo que ocorre
Assim é o apaixonar-se
Até parece que se morre...

Mas em breve, já de novo
Do frio voltamos ao calor
Queremos sim, queimar no fogo
Que é viver um grande amor.

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

À juventude

Onde há jovens
Há alegria
Onde há alegria
Há movimento
Onde há movimento
Há novidade
Onde há novidade
Há renovação.
Onde há renovação
Há novidade
Onde há novidade
Há movimento
Onde há movimento
Há alegria
Onde há alegria
Há jovens.

sábado, 12 de agosto de 2017

Nós dois

Preencho as minhas solidões
Contemplando as tuas ausências.
Quando chegas, repentinamente,
Todos os espaços se preenchem
Nos reflexos límpidos da tua presença.
Então, já não há agora nem depois
Não há mesmo pensamento algum
Deixamos, imediatamente, de ser dois
Momentaneamente, nos tornamos um.

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

És

És gigante.
Tens a força
Toda em ti.
Os terremotos
Os vendavais
Estão em ti.
As explosões
Dos furacões
Estão em ti.
A inquietude
O movimento
Estão em ti.
Mas a paz
E a calmaria
Estão em ti.
És ternura
Emoção pura.
Tenta:
Levanta os olhos
E sorri.

sexta-feira, 28 de julho de 2017

Já era...

Sentiu, mas fingiu, resistiu
Disfarçou, fez que não viu
Fez pouco caso, não deu valor.
Depois reconheceu, correu atrás
O que passou, passou - tarde demais
Deixou de viver um grande amor...

quinta-feira, 27 de julho de 2017

Aqui

Com toda a imensidão do Universo
Seu espaço infindo, incomensurável
E mesmo o que nos pareça imponderável
Às vezes me desarrumo, sem rumo, disperso
E confesso, ainda que cause algum espanto:
Corro e busco o infinito do meu quarto, do meu canto.